Digitais de Deus!

Cientistas tentam imitar teia de aranha


Com o objetivo de produzir uma nova geração de materiais fortes e leves, com aplicações em diversos campos, como na medicina, cientistas criaram um aparelho que imita o processo usado pelas aranhas para tecer teias finas e super-resistentes. Há anos pesquisadores têm dedicado tempo e investido muito dinheiro para descobrir um método simples para fabricação de teias artificiais de aranha – coisa que os pequenos aracnídeos fazem com a mesma eficiência há muito tempo, conforme se pôde perceber com a descoberta de teias de aranha muito antigas preservadas em âmbar (fóssil).

O fato é que, proporcionalmente, as teias podem ser cinco vezes mais fortes do que o aço e é justamente essa resistência aliada à flexibilidade que os pesquisadores desejam replicar. Mas, apesar de anos de pesquisa, até hoje não foi possível produzir teias artificiais com boa qualidade.

As aranhas tecem a teia com proteínas solúveis em água que são secretadas a partir de células. Essas soluções são forçadas através de pequenos buracos – conhecidos como fiandeiras – que expelem o fio. Para imitar esse processo, uma equipe de cientistas alemães produziu geneticamente duas proteínas de teia de aranha a partir de bactérias. O material é colocado em um aparelho de vidro com três canais, que conduzem a um canal maior.

“A proteína é introduzida em um canal e os outros dois são carregados com soluções de sal”, explica Sebastian Rammensee, da Universidade Técnica de Munique. O sal faz com que as proteínas se juntem. Ao passar pelo canal maior, a mistura se transforma em fibra. Mas a qualidade dessa fibra ainda está longe da original.

Esse é o tipo de pesquisa em que o design inteligente verificado na natureza inspira o avenço de novas tecnologias. E, como a própria ciência demonstra, se há um design, existe um Designer.

Michelson Borges

You can leave a response, or trackback from your own site.
Powered by Blogger