A Experiência do Testemunho - Estudos/Teatro

Capítulo 3



Muitas pessoas testemunham usando vários métodos. Algumas testemunham para os vizinhos; outras auxiliando as pessoas em suas aações diárias; ainda outras testemunham através da pregação de um sermão. Assim como a música é parte significante do serviço de Adoração, o teatro também é uma forma de arte que tem o poder de testemunhar.



Muitas, se não todas, as igrejas cristãs têm a tarefa de proclamar o evangelho de Jesus Cristo pelo mundo. Este é um propósito principal. Ao preencher este propósito, a igreja nos ajuda a descobrir e a entender a nós mesmos e o nosso relacionamento com o nosso mundo, com os outros e com Deus.


Aqui encontramos um forte vínculo entre o teatro e a religião. Desde o princípio da civilização, o teatro tem nos ajudado a descobrir e a entender a nós mesmos, nosso relacionamento com o mundo, com os outros e com Deus. Como tal isto é e sempre tem sido uma força afirmativa no mundo. Como Ludwig Lewisohn (1882-1995) disse "em todos os tempos, o drama através de sua interpretação da atuação e do sofrimento humano, tem sido um aliado, mais do que qualquer outra arte, aos seus pensamentos mais profundos concernentes a sua natureza e seu destino".Ao contrário das outras artes, o foco total e intenso do teatro está no ser humano, sua existência e seu relacionamento com a vida. Isto faz parte da natureza humana que tem necessidade de examinar quem somos nós em relação com onde nós estamos. Conseqüentemente os elementos básicos do teatro e do drama existem em toda a sociedade.


Se nós usamos o teatro como uma aproximação do testemunho, então nós dotamos o teatro com o mesmo propósito da igreja. Entretanto, a natureza primeira do teatro não muda. O teatro é algo que se cria, e esta criação determina o que ele é e o que ele faz. Nós criamos o teatro de tal maneira que ele expressa significado, sentimento e espírito, de maneira que o público tenha a oportunidade de experimentar o que nós quisermos que eles sintam como experiência. Por exemplo, nós podemos querer que o público passe pela experiência de sentir o que é viver em um casebre localizado em uma viela, para que o público possa sentir e entender os problemas urbanos. Ao mesmo tempo, nós queremos afirmar o valor das pessoas. Uma pessoa que mora em um casebre também tem valor.


Entretanto, a experiência do teatro é mais do que isto. Ele faz parte da natureza humana que nos separa de pessoas que são diferentes e vivem em situações diferentes. O teatro quebra a barreira da separação. De alguma maneira, o teatro nos permite experimentar o mundo de outra pessoa e ao mesmo tempo experimentar nós mesmos em nosso próprio mundo. O teatro nos une ao nosso mundo e a uma outra pessoa e seu mundo. Nós experimentamos e entendemos emocionalmente e intelectualmente, que nossas vidas conectam-se à vida de outras pessoas, e o nosso mundo se une ao mundo de outras pessoas. Desta maneira, o teatro une a nossa própria humanidade.


No final do século 19, Richard Wagner afirmou ser o teatro como uma síntese das artes - pintura, escultura, arquitetura, música, livros, etc. Entretanto, as escolas de teatro atualmente vêem o teatro como uma forma de arte com seus direitos próprios. Para praticar o teatro, nós utilizamos outras formas de arte, mas o teatro é mais do que a soma das partes. O teatro não é um mero arranjo de formas artísticas ou de elementos dramáticos. Como Susanne Langer (quem é?) diz: "um trabalho de arte é mais do que a organização de elementos - mesmo de elementos de qualidade. Alguma coisa emerge da organização de tons ou cores, as quais não estavam lá antes". O teatro (no seu desempenho) expressa-se de tal maneira que nós experimentamos algo que nos verdadeiramente não podemos explicar.


TEATRO COMO EXPERIÊNCIA


Através dos tempos, as pessoas têm tentado descobrir o que é o teatro. Estudiosos têm abordado o teatro de três formas diferentes. Uma forma é de estudar o relacionamento entre o artista e o trabalho de arte, com foco no artista. Por exemplo, em Íon, Plato examina o que acontece ao artista quando ele realiza um trabalho de arte. Também, a premissa de que um roteiro reflete a sociedade na qual o dramaturgo escreveu, segue esta abordagem e leva aos métodos históricos, sociológicos e biográficos de cepticismo.


A segunda forma de abordagem, é de estudar o trabalho da arte. Aristóteles foi o primeiro a usar esta abordagem em "Poética". Descobriu o valor da análise empírica para ajudar a entender um trabalho de arte literária. Por um lado esta abordagem ajuda a entender o texto dramático escrito, por outro lado ela não ajuda a entender completamente o teatro como desempenho.


A terceira forma de abordagem é estudar o relacionamento entre o trabalho de arte e o público (ou expectador ou leitor) com ênfase no público. Em "A República", Platô foi o primeiro a usar este recurso. Mais tarde, Horácio em "Ars Poética", criou princípios e preceitos sobre o relacionamento entre arte e público o qual dominou a arte como forma artística por séculos. Hoje, muitos estudiosos estão preocupados com o relacionamento entre o trabalho de arte e o público. Num todo, eles vêem o relacionamento em termos de experiência.


O SIGNIFICADO DO TEATRO


Então, porque ter o teatro como arte? De uma maneira ou de outra, o teatro faz parte da sociedade. Porquê? De que maneira o teatro é importante?


O teatro é importante exatamente porque somos seres humanos. E como tal, nós necessitamos mais do que comida, segurança, estima e amor. Nós necessitamos criar; nós fomos feitos para criar. E o ponto alto da criação é a experiência. Ao contrário de todas as outras formas de arte, o teatro é a criação da experiência do viver humano.


Teatro é expressão. Os artistas criam uma experiência acerca do nosso relacionamento com o nosso mundo. Nós expressamos quem somos ao explorar o relacionamento entre nós mesmos e Deus, entre nós e as outras pessoas, entre nós e a natureza, entre nós e nossa sociedade. Esta exploração leva a uma experiência literal tanto para o público como também para os artistas. Desta maneira, o público compartilha esta expressão.


Ao compartilhar esta experiência, o público também se torna expressivo. Os atores reconhecem este fenômeno como "eletricidade" ou "estar conectado" durante a apresentação. Como seres humanos, nós somos levados a explorar, entender, sentir e expressar a nós próprios no nosso mundo.


Teatro é criação; Ao contrário de outras artes, o teatro cria um mundo. Como seres humanos, nós precisamos atualizar a nós mesmos através da criação. O teatro, como uma forma de arte é o ponto alto da criação, onde nós literalmente criamos um mundo completo e vivo o qual focaliza a nós mesmos como seres humanos. A experiência própria, para o artista e para o público, dá vida ao mundo criado. A situação (escrever o roteiro, a atuação dos atores, assentar na platéia), pode ser uma situação fabricada, artificial, mas a experiência é completamente real.


Pelo fato da experiência ser real e vital, o teatro literalmente cria o mundo no qual vivemos, pelo menos durante a experiência real. O teatro, então, tem o potencial para mudar significativamente as vidas e ajudar a criar o mundo fora do teatro.

You can leave a response, or trackback from your own site.
Powered by Blogger