Formando Líderes - Estudo 2

Oração de Francisco de Assis: Senhor faz de mim um instrumento de tua paz...

Frutos do amor:

Alegria
Paz
Longanimidade
Benignidade: não é sentimento mas serviço e ajuda, são pequenas tarefas que ajudam reanimar e reconfortam os outros.
Bondade:manifestação das virtudes divinas na pessoa.
Fidelidade




4. HUMILDADE

Se alguém espera desenvolver todo o seu potencial como líder, será bom aprender a enfrentar a crítica com tranquilidade e afabilidade. Esse tipo de atitude fortalece o espírito, dá maior impulso ao seu trabalho e, acima de tudo, honra a Deus.
O homem humilde não é um espécie de camundongo humano, sofrendo com o senso da sua própria inferioridade. Em sua vida moral, ele pode ser tão audacioso como um leão e tão forte como Sansão, mas não se engana a seu próprio respeito. Ele aceita a avaliação divina a respeito de sua própria vida. Sabe que é fraco e impotente, como afirma. Mas ele se firma na certeza de que, à vista de Deus, ele é mais importante que os Anjos. Em si mesmo, nada é; em Deus, ele é tudo. Esse é o seu lema motivador. Não fica preocupado pelo fato de o mundo jamais o ver como Deus o vê. Tranquilamente permite que Deus determine seus valores pessoais. O homem humilde espera pacientemente o dia em que cada coisa terá o seu preço marcado e seu valor real. Enquanto isso vai exercendo sua liderança para benefício da humanidade e para a glória de Deus, alegremente disposto a esperar o dia da avaliação final.
A pessoa humilde está livre do orgulho ou da arrogância. Submete-se aos outros e é prestativa e cortês. O humilde não se considera auto-suficiente, todavia reconhece seus próprios dons, recursos e realizações. Sabe que foi objeto de um amor redentor, que não merecia. Não pode confiar em si mesmo porque sabe que é “ tudo de graça”. Mas ser humilde não exclui ter confiança. Ler. Hb. 10:35.
Quem é humilde não se ofende nem revida. Volta a outra face áquele que o fere. Humildade não é covardia, porque exige grande coragem. A humildade nos leva a aceitar um lugar inferior àquele que merecemos, a silenciar a respeito de nossos méritos, a tolerar desfeitas, insultos e acusações falsas por causa de um propósito superior. Jesus quando ultrajado não revidava com ultraje, quando maltratado, não maltratava...
O líder não é onisciente, e a humildade o protege de adotar uma opinião insensata.
Seja roupa, ou discurso, ou comportamento, qualquer coisa que atraia a si a tenção dos outros, afastando-a da pessoa de Cristo, é desagradável a Deus e viola a humildade. Promove a presunção e dá projeção à vaidade.
O espírito de humildade libera o líder para que possa concentrar-se nas reais necessidades dos outros. Ele não dissipa energias especulando que espécie de impressão está causando nos outros. Recusando-se a pensar de si mesmo além do que convém, ele não se sente insultado, não importa o que lhe digam. Nem fica ansioso, com medo de ser tratado de maneira desrespeitosa.


A humildade é importante para o líder porque as pessoas seguem mais entusiasticamente aquele cuja motivação não é servir a si mesmo.

Benefícios da humildade:

Serenidade:e equilíbrio por causa de sua humildade. Ele não se preocupa muito consigo mesmo e não se ofende com o que os outros possam dizer dele, e que não seja lisonjeiro. Está ocupado demais servindo aos outros com toda humildade para se preocupar com ofensas reais ou imaginárias. Sofre desfeitas e selvageria, repúdio e perigo. Mas continua não desiste, nem se entrega à autopiedade. Ele realmente se alegra com a oportunidade de servir aos outros.
Ampliação da vida: pois guia ao estudo, a fé e ao serviço. Pois o líder não age como se fosse auto-suficiente e não precisa dar ares de que sabe tudo, e por isso se acha numa posição em que recebe opiniões e idéias dos outros.
Eliminação do medo:. Pois confia inteiramente em Deus.
Sucesso: Guia ao sucesso. Js. 1:8 Se alguém presume que conhece bem alguma coisa, na verdade nada sabe esta perigosamente encobrindo sua ignorância e confusão.


O líder deve esforçar-se sempre para fazer bem aos outros, ele não precisa ir até os confins da terra para começar a servir, pode começar em sua casa. Ele deveria estar o dia todo levando as pessoas metas que atendam às suas reais necessidades.
Jesus maior exemplo de liderança levou uma vida de humildade. O senhor da terra e dos céus revestiu-se de roupagem de indivíduo rústico. Ele que derramou as águas em todos os rios da terra – O amazonas, o eufrates, o Mississipi – inclinou-se sobre um poço de água para pedir um gole de água à uma samaritana. Ele que estendeu o pálio dos céus e colocou a terra como escabelo dos seus pés, passou a noite na casa de Simão.


Caminhos que levam a humildade:
Concentrar-se.
Entronizar Cristo no coração
Viver uma vida de obediência a Deus e sua Palavra
Assumir atitude e comportamento de uma criança
Siga o exemplo de Cristo na oração, nas relações pessoais, evitando o elitismo, a intolerância, a distinção de classes e a auto promoção
Sirva aos outros.


5. AUTOCONTROLE.

É um modo de vida no qual pelo poder do Espírito Santo o crente é capaz de ser equilibrado em tudo porque não deixa seus desejos dominarem sua vida. O conceito de autocontrole não significa que ele não cai simplesmente em bebedices, brigas, etc Significa que em todos os aspectos de sua vida são dominados pelo Espírito Santo. Sua vida é caracterizada pela disciplina.

Capacidade de restringir o desejo por meio da razão...de ser resoluto e estar sempre com a disposição para suportar a carência natural e a dor. O homem que exercita o auto – controle tem desejos fortes que tentam desviá-lo do caminho da razão, mas ele consegue manter-se sob controle.

O autocontrole é essencial para o líder, sem isso perde muito da sua eficiência bem como o respeito dos liderados. Mas se o tiver todos o verão como alguém que tem determinação e força para ocupar posição.

Alguns líderes foram destruídos pela falta de auto controle. Alguns foram levados pela cobiça e extravagância a desviar dinheiro ou dar desfalques. Outros foram seduzidos por tentações sexuais que os destruíram e a sua família e capacidade de liderança. Falar demais sem descrição tem custado a outros a perda do respeito de seus liderados e de informações confidenciais. A gula e o abuso do álcool custaram a outros sua posição de liderança pela destruição do seu corpo. O orgulho e a auto satisfação custaram a muitos a sua posição de liderança pois o seu julgamento se tornou falho.
Quando os líderes não tem controle sobre o seu próprio espírito, os menores transtornos o perturbam. Os mais insignificantes interesses levam-no a desviar-se para trivialidades destrutivas. As mínimas provocações o irritam. Dominado por paixões pessoais, descontrolados e perdendo totalmente o controle, o líder perde a confiança do grupo.
Acaba-se tornando completamente inútil.
O auto controle dá coragem ao líder para ficar firme em sua convicção, mesmo quando os outros estão questionando sua visão. Pelo hábito do auto controle, ele aprende a se firmar em sua própria avaliação e compreensão da situação, em lugar de confiar na opinião popular. Muitos tremem só de pensar em assumir uma responsabilidade. Tais indivíduos não determinam sua posição enquanto não determinam sua posição enquanto não verificarem a direção do vento, consultarem a opinião popular ou chegarem a um consenso.
Ter um caráter forte é algo pessoal. O auto controle ajuda a desenvolver um caráter forte, que pode ser definido como a capacidade de se posicionar sozinho.
O líder percebe a necessidade de ficar só pois o contínuo contato com seus liderados o enfraquece. Ele poderá cai ao nível deles. Poderá fazer concessões aos seus hábitos e fantasias. Em vez disso, ele deveria ajustar o desenvolvimento espiritual do seu caráter de modo a colocar-se no nível de Deus.
Ficar no nível do grupo é bem mais fácil e mais confortante do que situar-se acima dele; mas isso impediria o atendimento das mais altas necessidades do grupo dando-lhes uma visão que resulte em mudanças de permanente benefícios.
É na solidão que reconhecêssemos nossa necessidade de Deus e nos fortalecemos. Mas a solidão requer autocontrole. João Batista jamais ficou embriagado com sua fama, mas dizia “convém que Ele cresça e que eu diminua” Ele pagou o preço do autocontrole que é o domínio próprio, para vir a exercer uma influência especial.
O verdadeiro teste de coragem é a capacidade do líder de ficar só em tempos de crise.

You can leave a response, or trackback from your own site.
Powered by Blogger