A ARTE DE USAR DESCULPAS ESFARRAPADAS

Deus quer que todo o crente seja um ganhador de almas. Ide e pregai o evangelho a toda criatura – foi uma das últimas palavras de Cristo. Apesar deste desejo de Deus, muitos crentes dão desculpas para não evangelizar. Evangelizar é mais que um dever: é um gigantesco privilégio. Privilégio que não foi dado aos anjos. Privilégio que Cristo enfatizou em cinco comissões: Mt 28.19 e 20; Mc 16.15: Lc 24.47-49; Jo 20.21 e At 1.8. Privilégio de responder afirmativamente à grande pergunta de Deus: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” (Is 6.8). Desfrutar deste privilégio é uma atitude sábia: “O que ganha almas é sábio” (Pv 11.30). Apesar disso, muitos têm dado desculpas. São desculpas que não desculpam. Citarei algumas.

1. Não tenho dom. Essa é uma das desculpas mais usadas. Não se pode confundir o dom ministerial do evangelista (Ef 4.11) que é só para alguns, com a responsabilidade que cada crente tem de falar de Cristo. Para falar de Cristo é necessário ser nascido de novo. Um exemplo clássico é o da mulher samaritana que ao conhecer a Cristo correu para falar aos seus sobre Jesus. Quem teve uma experiência pessoal com Cristo já tem algo para transmitir.

2. Sou tímido. Paulo escreveu: Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação (2Tm 1.7).

3. Já tenho cargo na Igreja. Nenhum cargo na Igreja tira a sua responsabilidade de resgatar uma vida do inferno. O que você vai dizer quando chegar diante do tribunal de Cristo? Deixei de falar de Cristo por causa do meu cargo?…“ Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; e tu não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade, mas o seu sangue, da tua mão o requererei” (Ez 3.18).

4. Não tenho tempo. Quem dá essa desculpa provavelmente pensa que a única maneira de evangelizar é participando da evangelização organizada pela Igreja local. Estando ocupada, pensa estar eximida da responsabilidade de evangelizar. E os seus parentes, vizinhos, amigos, colegas de trabalho…? Quem quer realmente evangelizar não fica somente esperando as oportunidades aparecerem, mas cria as oportunidades de evangelização. “Pregue a palavra, instes a tempo e fora de tempo” (2 Tm 4.2).

5. Sou dizimista. São aqueles que dizem: meu dízimo evangeliza por mim. Sem dúvida alguma, as contribuições ajudam a expandir o Reino de Deus na terra. Apesar disto, aquele que contribui continua com a responsabilidade e privilégio de falar de Cristo. Quem dá esta desculpa está como que dizendo – eu pago para outro fazer por mim. Observe o grito de Pv 24.11: “Livra os que estão destinados à morte, e os que são levados para a matança, se os puderes retirar”. Não dê desculpas, evangelize!

6. Não sei falar. Esta foi a mesma desculpa que Moisés deu (Ex 4.10). Existe uma linda promessa bíblica que destrói essa desculpa: “Mas quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós” (Mt 10.19 e 20).

O que fazer? Continuar dando desculpas? Ou realizar a maior de todas as tarefas: Evangelizar. Lembre-se que quando Jesus deu o Seu Ide também disse que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Portanto temos o conforto, habilidade, poder do Espírito para juntos com Ele realizar esta magna tarefa. Vamos lá! “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (Jo 9. 4).

You can leave a response, or trackback from your own site.
Powered by Blogger