Estilos de evangelismo | Evangelismo



Existe um estereótipo de evangelista: alguém berrando em alguma esquina falando freneticamente sobre o fogo do inferno, esmurrando uma Bíblia e parecendo simplesmente irritante ao incrédulo.
Muitos crentes sinceros descartam o evangelismo porque não se sentem a vontade num estilo assim. Isto é uma grande perda para a Igreja.
Existem tantos estilos de evangelismo quanto há evangelistas. Para um mundo tão variado como o nosso com diferentes culturas, personalidade, posição social, escolaridade, Deus preparou também um exército de evangelistas com diferentes estilos.
Não temos de nos transformar em algo que não somos a fim de sermos evangelistas. Precisamos sim de poder, unção, oração, santidade e dependência de Deus, mas podemos fazer tudo isso sendo nós mesmos.




1. O método de confrontação de Pedro
Este é o estilo de Pedro. Na sua primeira pregação ele confrontou os judeus dizendo que foram eles que crucificaram o Senhor Jesus.
Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.
Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?
Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. At. 2:36-38.
Pedro era um homem de ação: era sempre o primeiro a falar, se mover e reagir. Foi ele quem andou sobre a água, foi ele quem decepou a orelha de um sujeito no Getsêmane. Era impetuoso.

2. O método intelectual de Paulo
Este era o estilo normalmente usado por Paulo. Ele era muito culto, extremamente inteligente e capaz de arrumar argumentos irrefutáveis.
Certa vez em Atenas ele engenhosamente usou o altar ao deus desconhecido como forma de apresentar o evangelho.
Porque, passando e observando os objetos de vosso culto, encontrei também um altar no qual está inscrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Pois esse que adorais sem conhecer é precisamente aquele que eu vos anuncio. At. 17:23
Algumas pessoas precisam de uma apresentação do evangelho mais persuasiva e acadêmica. Eles não se deixam ser confrontados.
Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras,
expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio.
Alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres. At. 17:2-4

3. O método do testemunho do cego
Este é o estilo do cego que foi curado por Jesus: “quem ele era eu não sei, só sei que era cego e gora vejo” (Jo 9:25).
Este tipo de evangelista não confronta e nem apresenta intelectualizam. Eles apenas contam a história daquilo que Deus fez em suas vidas.
Seria bom se cada crente escrevesse o seu testemunho para se familiarizarem com ele de forma a apresentá-lo com clareza e objetividade.

4. O método do Compartilhamento da fé do gadareno
Em Marcos 5:1-20 lemos a história do endemoninhado geraseno. Depois que ele foi liberto implorou a Jesus para seguir com ele, mas o Senhor mandou que ele fosse para casa e testemunhasse para a sua própria família.
Ao entrar Jesus no barco, suplicava-lhe o que fora endemoninhado que o deixasse estar com ele.
Jesus, porém, não lho permitiu, mas ordenou-lhe: Vai para tua casa, para os teus. Anuncia-lhes tudo o que o Senhor te fez e como teve compaixão de ti. Mc. 5:18-19
A maioria de nós não consegue abordar um desconhecido para apresentar um testemunho, mas podemos alvejar os nossos parente com oração e jejum e depois apresentar-lhes como o amor de Deus tem mudado a nossa vida.

5. O método interpessoal de Mateus
Mateus era um coletor de impostos e como tal possuia inúmeros amigos. Ele certamente era um homem muito próspero.
Depois de aceitar o convite para ser discípulo de Jesus ele resolveu fazer todo o possível para atrair seus amigos. Assim, vemos em Lucas 5:29 que ele organizou uma grande festa para todos os seus colegas coletores de impostos para coloca-los em contato com Jesus.
Mateus não os confrontou nem os desafiou intelectualmente, eles apenas desenvolveu a amizade entre eles. Convidou-os para ir a sua casa. Ele queria influencia-los.


6. O método do convite da mulher samaritana
Em João 4 temos a história da mulher samaritana. Depois de encontrar o Senhor ela foi até a cidade e convidou as pessoas para virem também e conhecer o Senhor. A samaritana foi uma evangelista de convite.
Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo?! Saíram, pois, da cidade e vieram ter com ele Jo 4:28-30
Muitos não são confrontativos nem intelectuais, também não possuem um testemunho dramático para contar nem são particularmente amigáveis, Elas podem, entretanto, convidar pessoas para virem aos cultos.

7. O método do serviço de Dorcas
Dorcas era uma evangelista de serviço.
Em Atos 9 lemos a respeito de seus atos de bondade. Ela costurava roupas para os pobres e as distribuía em nome de Jesus.
É provável que ela nunca tenha pregado um sermão como Paulo ou pedro e talvez nem tenha tido um testemunho dramático para contar. Contudo através de seus atos de bondade eles atraiu a muitos a Cristo.
Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia. At. 9:36

You can leave a response, or trackback from your own site.
Powered by Blogger